Verbos em Inglês


O verbo inglês é (de acordo com várias fontes, como o The Chicago Manual of Style) a parte mais importante da oração. Verbos expressam ações ou estados de humor e podem expressar pensamentos. Exemplos: (Walk! (Andar!) Scream! (Gritar!) Drink! (Beber!) Love! (Amar!).

O objetivo deste artigo é simples: fornecer uma descrição completa de todas as propriedades dos verbos ingleses, e como tal é um artigo abrangente. Dos oito partes do discurso que existem no idioma inglês (em português são dez), os verbos são, sem dúvida, os mais complexos, especialmente para os portugueses, que têm pesadelos durante a noite sonhando com phrasal verbs.

Este guia enorme não cobre tudo, nem de perto, mas dá uma base muito sólida: se tu és capaz de absorver todos os itens nesta página, a tua compreensão do inglês estará a um nível muito diferente da pessoa que nunca estou os verbos do inglês de perto.

Bem, aqui vamos!

Os verbos têm quatro propriedades básicas.

Voice (voz): pode ser active (ativa) ou passive (passiva).

Mood ou mode (modo gramatical): pode ser indicative (indicativo), imperative (obrigatório) ou subjunctive (subjuntivo).

Tense (tempo verbal): present perfect (presente perfeito), past perfect (pretérito perfeito), future perfect (futuro)

Person (pessoa): first person (primeira pessoa), second person (segunda pessoa), third person (terceira pessoa).

Number (número): singular (singular), plural (plural).

É fácil entender a voz através de exemplos simples:

Active Voice (voz ativa)

Passive Voice (voz pasiva)

The King of Lisbon ate the duck. (O Rei de Lisboa comeu o pato.)

The duck was eaten by the King of Lisbon. (O pato foi comido pelo Rei de Lisboa.)

A tidal wave destroyed the city. (Um maremoto destruiu a cidade.)

The city was destroyed by a tidal wave. (A cidade foi destruída por um maremoto.)

I drank the tea. (Eu bebi o chá.)

The tea was drunk by me. (O chá foi bebido por mim.)

She played soccer all day long. (Ela jogou futebol durante todo o dia.)

Soccer was played all day long. (Futebol foi jogado todo o dia.)

Voice no idioma inglês mostra o tipo de ação que está ocorrendo. Se o sujeito atua, estas usando a voz ativa; se o sujeito recebe a ação do verbo, estas usando a voz passiva. Como se pode ver nos exemplos acima, a voz passiva frequentemente utiliza a palavra by (por).

Mood, também conhecido como mode (modo), revela como o verbo transmite um estado de espírito ou ação.

O indicative mood é usado para demonstrar crenças e dados. O modo indicativo em inglês também é usado para fazer perguntas. Os exemplos incluem: Is that a turtle? (Isso é uma tartaruga?); The bed is clean today (A cama está limpa hoje); Pigs fly (Os porcos voam); I believe you are very funny (Eu acredito que tu és muito engraçado).

O imperative mood indica ordens como Get out of here! (Fora daqui!); Do as I say! (Faz o que eu te digo!) Clean the wall! (Limpa a parede!); Give me that hamburger! (Dá-me esse hambúrguer!) e Please, do something with your life. (Por favor, faz algo da tua vida.) e Let’s watch Morangos com Açúcar. (vamos ver Morangos com Açúcar.) e Don’t eat that apple. (Não comas essa maça.).

O subjunctive mood é usado para expressar construções mentais—coisas que não são verdadeiras. Isto inclui ações duvidosas, situações previstas, coisas que alguém deseja ou necessita, algo que está sujeito a alguma outra coisa, e cenários hipotéticos. Os exemplos incluem: If I were you, I’d walk that dog (Se eu fosse a ti, eu passearia esse cão) e I wish I was a dog (Quem me dera ser um cão). Os alunos de inglês normalmente reconhecem o modo subjuntivo através de um processo de eliminação. Faz as seguintes perguntas: isto é uma crença ou informação ou pergunta? Se não, pergunta-te a ti mesmo se é uma ordem. Se não, então a frase está no modo subjuntivo.


O tense especifica o tempo.

O present tense (presente em português) indica ações, condições ou estados que ocorrem no momento presente, como eat, drink, walk, run e jump. Por exemplo, I eat significa eu como; you drink significa tu bebes; he walks significa ele anda. O present tense é usado de muitas maneiras. Por exemplo, as verdades eternas são sempre no present tense (por exemplo, ethanol is flammable (o etanol é inflamável), e os dados também (por exemplo, turtles are slow; tartarugas são lentas).

O past tense (pretérito perfeito simples em português) tem lugar no passado (exemplos: I ate = eu comi; you ran = tu correste; he/she devoured = ele/ela devorou; we jumped = nós saltamos; they paid = eles/elas pagaram).

O future tense (futuro em português) acontece no futuro e quase sempre usa a palavra will (I will pay = eu pagarei; you will jump = tu saltarás; he/she will walk = ele/ela andará; we will drink = nós beberemos; they will eat = eles/elas comerão. Raramente, a palavra shall é usada em vez de will (por exemplo, I shall walk = eu andarei). Will é muito mais comum.

O present perfect (não tem equivalente em português!) indica uma ação, estado ou condição que foi concluída ou está em andamento. O present perfect utiliza has (tem) e have (ter, possuir). Por exemplo, has walked = andou e have jumped = Já acabou. Observa estas frases: I have worked at Microsoft for eleven years = Eu trabalhei na Microsoft durante onze anos; She has found her passion = Ela descobriu a sua paixão.

O past perfect tense (pretérito mais-que-perfeito em português) é usado quando algo foi terminado antes de outra ação passada, e utiliza had (tinha). Por exemplo, I had drunk = eu bebera; he had played = ele jogara. Estes dois exemplos utilizam o pretérito mais-que-perfeito como o conhecemos em português. No entanto, outra tradução poderia ser I had drunk = eu tinha bebido e he had played = ele tinha jogado.

O future perfect (futuro perfeito em português) utiliza will e se refere a algo que terminou antes de um tempo futuro ou ação. Utiliza o verbo ter (terei, terás, terá, teremos, tereis, terão) Exemplos: I will have loved = eu terei amado; you will have jumped = tu terás saltado.

A person de um verbo explica-te quem.

First person utiliza I (eu; singular) e We (nós; plural). Exemplos: I am amazing (eu sou incrível); we’re intelligent (nós somos inteligentes); I’m going to drink this tea (eu vou beber este chá.); we ate those croissants (nós comemos esses croissants); I know who you are. (Eu sei quem tú es).

Second person utiliza you (você, vocês, tu; singular ou plural). Exemplos: You are fat (Você é gordo); You’re an idiot (Tu és um idiota); You all are intelligent (Vocês são inteligentes).

Third person utiliza he (ele, singular), she (ela, singular), it (isso, isto, o, a, lhe, ele, ela, sem tradução direta, singular) ou they (eles, eles, plural). Exemplos: She is very beautiful (Ela é muito bonita); He is very beautiful (Ele é muito bonito); It doesn’t work (Isso não funciona); They are afraid (Eles/elas estão com medo).

Finalmente, o number explica-te se um verbo é singular ou plural, e depende do substantivo ou pronome que esta associado ao verbo. Exemplos Singular / Plural: I am intelligent/We are intelligent (Eu sou inteligente/Nós somos inteligentes); You have nice shoes/Y’all have nice shoes (Tu tens sapatos bonitos/Vocês têm sapatos bonitos); He’s my friend/They’re my friends (Ele é meu amigo/Eles são meus amigos).

Action verbs: verbos de ação. Estos verbos incluem eat (comer), drink (beber), write (escrever), investigate (investigar) plan (planificar), inspect (inspecionar), teach (ensinar) e lie (mentir). Um verbo de ação faz algo—expressa uma ação—algo que uma coisa faz.

Non-action verbs: verbos não-ação. Estos verbos indicam posses, estados, sentidos, desejos, opiniões—basicamente tudo o que não é uma ação. Exemplos incluem want (querer) believe (acreditar) love (amar).

No entanto, uma série de verbos podem ter tanto o atributo de ação como o atributo de não-ação. Tomemos, por exemplo, o verbo love:

I feel love; Eu sinto amor: não-ação.

I love this house; Eu amo esta casa: ação.

Verbos podem ser transitive (transitivos) ou intransitive (intransitivos). Verbos transitivos trabalham com objetos diretos; um sujeito deve fazer alguma coisa a este objeto. Por exemplo, the man drank the tea (o homem bebeu chá)—man é o sujeito, tea é o objeto, e drank é o verbo. Um verbo intransitivo, por outro lado, não requer nenhum objeto direto (por exemplo, the turtle sleeps (a tartaruga dorme).

Assim como o mesmo verbo pode ser de ação e não-ação, um verbo pode ser transitivo e intransitivo simultaneamente. The turtle sleeps (intransitivo) pode se transformar no transitivo the turtle sleeps on the ground (a tartaruga dorme no chão) e o transitivo please, can you fly that plane (por favor, podes voar esse avião) pode se transformar no intransitivo I don’t want to; you fly (não quero; tu voas).

Um tipo especial de verbo chamado ergative verb (verbo ergativo) pode ser usado no modo transitivo ou intransitivo nestes dois casos: a) quando um substantivo pode transformar-se em um objeto não-direto quando o verbo é transitivo ou b) quando é possível criar um sujeito e ligar-lhe com o objeto se o verbo é intransitivo. Por exemplo, o transitivo he burned the kitchen (ele queimou a cozinha) transforma-se no intransitivo the kitchen burned (a casa queimou-se)—o papel do sujeito foi alterado.

Outro atributo de verbos é a sua regularidade: são regular (regulares) ou irregular (irregulares)? Verbos regulares são identificados pelo seu sufixo. Um verbo regular termina em -ed e tem esta estrutura básica: walk-walked-walked, talk-talked-talked, love-loved-loved. Quando um verbo regular termina em -e, adiciona-se apenas -d. Exemplos: abuse-abused-abused, base-based-based, brave-braved-braved. Em alguns verbos regulares a consoante final é duplicada, como em stop-stopped-stopped.

Verbos irregulares não seguem estas regras, arise-arose-arisen, come-came-come, leave-left-left, cost-cost-cost, pay-paid-paid, put-put-put, ring-rang-rung. Muitas destas palavras são derivadas do inglês antigo e não há uma regra básica que podes seguir; prepara a tua memoria!

Verbos também podem ser principal (principais) ou auxiliar (auxiliares). Um principal verb pode estar sozinho ou expressar uma ação ou estado, como em He runs (Ele corre) ou She dies (Ela morre). Um verbo auxiliar pode ser ligado a um verbo principal e, juntos, uriar uma frase verbal que indica o mood (modo). Exemplos: You will eat the cake! (Você vai comer o bolo!) e He should walk to school (Ele deve caminhar para a escola) e I need to eat (Eu necessito comer).

Os verbos auxiliares são verbos “muito irregulares” que se combinam com outros verbos para formar novas frases. Eu não posso explicar todos, uma vez que existem muitos deles, mas aqui estão alguns dos principais: have, do, can, ought, must; will e would; shall e should.

Linking verbs/connecting verbs (verbos de ligação em português) são verbos que ligam o sujeito com uma palavra similar em uma frase (e essa palavra é ou um adjetivo ou um substantivo predicado ou um pronome predicado). Estes verbos não expressam ação. Exemplos: John is a boy (João é um rapaz); The spaghetti smells nice (O esparguete cheira bem); Dreams come true; Os sonhos tornam-se realidade.

Phrasal verbs são verbos mais um outro elemento. Exemplos: ask around (perguntar ao redor); cheer up (anima-te); come forward (avança); get away (foge), wake up (acorda). Veja esta frase em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban “Ron, cheer up,” said Hermione. Em português significa: “Ron, anima-te”, disse Hermione.

Verb contractions (contrações verbais) são muito comuns em inglês. Exemplos incluem are not—aren’t; do not—don’t; I will—I’ll; they will—they’ll; we are—we’re; I have—I’ve; we have—we’ve; she is—she’s. O bom uso de contrações cria uma melhor experiência de leitura.

Um infinitive verb (verbo infinitivo) é um verbo que normalmente possui a palavra to. Exemplos: to be, to have, to run, to walk, to clean, to love, to drink, to eat, etc. Mas, quando a voz ativa é usada, o to normalmente desaparece, especialmente quando o verbo no infinitivo vem depois de um verbo auxiliar (exemplo: you must run (tu deves correr)). Se a voz é passiva, como em this house was sold to Tiago (esta casa foi vendida a Tiago), se retiene el to. A palavra ought vem sempre com o to (exemplo: he ought to love her; ele deve amar-la). Infinitivos são o pão de cada dia do idioma inglês, e pode ser usado como verbos, substantivos, adjetivos ou advérbios.

Uma classe muito importante do verbo é o participle (particípio), um verbo não-finito. Esses verbos não são restritos pelo modo, número ou pessoa. Eles têm uma tempo verbal. Os dois particípios mais importantes são o present participle (particípios presente) e o past participle (particípio passado).

O present participle sempre termina em -ing. O particípio presente aponta a algo que está acontecendo agora. Os exemplos incluem: A flying car (um carro voador), the dancing woman (a mulher dançando), a crying baby (um bebé chorando). Um gerund (gerúndio) é um particípio presente derivada de um substantivo que desempenha o papel de um verbo, sem deixar de ser essencialmente um substantivo. O gerund não é restrito por número, tempo verbal ou pessoa e, como é um substantivo, ele pode ser usado de várias maneiras. Na frase running can be enjoyable (correr pode ser agradável), running é um gerúndio. Quando em dúvida, lembra-te: particípios modificam; gerúndios funcionam como substantivos.

O past participle (particípio passado) termina quase sempre em -ed, mas particípios passados irregulares podem terminar em -n, -en, -t ou -d. Eles apontam para algo que já aconteceu. Exemplos: the ruined car (o carro arruinado), destroyed kitchen (cozinha destruída), born baby (bebé recém-nascido), the sown seeds (as sementes semeadas), the broken glass (o vidro quebrado).

Participle phrases (frases particípio) são uma combinação de particípios e outros elementos, geralmente complementos ou modificadores. Uma frase particípio pode ser usada como um adjetivo para remodelar substantivos ou pronomes; ou como um advérbio para modificar predicados. Exemplo de uma frase particípio: Flying toward the mountain, the airplane was doomed to crash. (Voando em direção à montanha, o avião estava condenado a cair.)

É bom ter em mente os dangling participles (particípios pendurados): um particípio ou gerúndio que não modifica o substantivo mais próximo. Considere a seguinte frase: eaten in restaurants across Portugal, the widely-acclaimed bacalhau is known as a heavenly delicacy. (Comido em restaurantes em todo Portugal, o bacalhau é amplamente conhecido como um prato celestial.) Como podes ver, eaten não modifica o substantivo mais próximo. Refere-se ao bacalhau. Frases com particípios pendurados são confusas e devem ser evitadas.

Há outros cuidados a ter com os verbos: conectores enganosos e um milhão de outras pequenas exceções e regras que são impossíveis de cobrir em um único artigo.

Não é uma coisa bela, o inglês?

Referencias:

Allerton, D. J. Stretched Verb Constructions In English. London: Routledge, 2002. Print.

Ash, John. Grammatical Institutes: Or An Easy Introduction To Dr. Lowth’s English Grammar. Printed at Worcester [Mass.]: By Isaiah Thomas, 1785. Print.

Hopper, Vincent F, and Vincent F Hopper. Barron’s English Verbs. Hauppauge, NY: Barron’s Educational Series, 1991. Print.

McCarthy, Michael, and Felicity O’Dell. English Phrasal Verbs In Use. Cambridge: Cambridge University Press, 2004. Print.

Rosset, Eduardo. New Guide To Phrasal Verbs. Irún [España]: Editorial Stanley, 2003. Print.

Strunk, William, and E. B White. The Elements Of Style. Print.

The Chicago Manual of Style. 16th ed. Chicago, Ill.: University of Chicago Press, 2010.